PONT:
UMA COMUNIDADE
UMA HISTÓRIA

Pont Canavese se encontra entre as confluências das vales do Orco e da Soana, em uma posição que no passado foi estratégica pelo que concerne a defesa, o comércio e o desfrutamento energético. E' uma antiga posse chamada pelos Romãos "ad duos pontes" porque para chegar até a aldeia era preciso atravessar dois pontes construidos sobre os torrentes Orco e Soana. As duas vales uniam a região Canavese de um lado com a Vanoise e a Val D'Isère no Delfinato e, do outro, com a Val de Cogne e Aosta. Antes da construção das ferrovias e das auto-estradas, Pont era uma encruzilhada muito importante para a comunicação, o comércio, e ponto de encontro de diferentes culturas. Por isto, por volta do ano Mil, o Marquêz de Ivrea, Arduino, o primeiro Rei da Italia (1002) fez fortalecer Pont para defender-se do sítio do Imperador Enrique II. Referem-se à aquele período as torres, os baluartes de defesa que existem ainda hoje e tornam inesquecível o aspécto urbano e as montanhas. Em 1120 o Imperador Enrique II destinou as vales e a aldeia aos Contes do Canavese, descendentes de Arduino, a qual árvore genealógica era dividida entre as famílias nemigas de San Martino e Valperga, que exigiam ambas os diritos feudais sobre Pont. Os habitantes da aldeia tiveram que suportar as imposições seja de uma que da outra parte. Assim, no final do XIV século, se uniram à revolta antinobiliar que se desenvolveu por toda a região Canavese. Em 1389 o Duque de Milão Gian Galeazzo Visconti, passou a jurisdição de Pont ao "Conte Rosso" Amedeo VII de Savoia que já tinha herdado do pai o resto do Canavese. Naquele período, a aldeia, graças ao trabalho artesanal feito pelos habitantes, conseguiu uma melhor condição social e, foi atacada várias vezes pelos bandidos. Em 1500 e 1600, por causa da política dos Savoia na Europa, Pont foi teatro de violentos combates entre os exércitos françeses e espanhois que distruíram os castelos, poupando somente as duas torres que existem ainda hoje. A partir da primeira metade do século XVIII a atividade comercial se intensificou com a presença de feiras e mercados aos quais partecipavam mercadores da Savoia, do Delfinato, da Valle d'Aosta, do Piemonte e da Liguria. Até o ano 1789 a atual paróquia de Santa Maria em Doblazio, construída sobre o monte Uliveto, foi a igreja de Pont, construída provavelmente em um lugar de culto pagão. Foi restaurada pelo Rei Arduino depois da retirada de Enrique II e reformada no aspécto atual no século XVII. A planimetria trapezoidal e os dois arcos frontais do presbitério fizeram com que a construção fosse única na arquitetura ecclesial por causa da formação e limitação do local. O núcleo medieval de Pont ficou intacto, com a longa estrada do Comércio (hoje Caviglione) que se estende ao longo do centro da cidade e com os pórticos baixos e protetivos, sob os quais existiam as antigas lojas dos artesãos do cobre, ferro e madeira. Este era também o centro dos mercados e das feiras.

Index

A MAPA DO MUSEO
HISTÓRIA DAS
MATÉRIAS PLÁSTICAS
HISTÓRIA DO MUSEU
UMA FÁBRICA
UMA TRADICÃO
UM MUSEU
OS MATERIAIS PLÁSTICOS
SANDRETTO
INDUSTRIE